A OAB Nacional reuniu representantes da entidade em todo o país para discutir sobre o Exame de Ordem e sua aplicação.

Brasília – A OAB Nacional realizou nesta terça-feira (12) o II Fórum Nacional de Exame de Ordem, que reuniu representantes da entidade em todo o país para debater temas ligados à prova e maneiras de continuar melhorando na avaliação dos bacharéis que buscam atuar como advogados em todo o país. “O compromisso da OAB é com a qualidade permanente do ensino jurídico”, afirmou o presidente nacional da Ordem, Claudio Lamachia, na abertura do evento.

“Acompanhar o Exame de Ordem não é uma tarefa fácil, que impõe dificuldades diante de um problema social que é o grande número de bacharéis no mercado. É preciso achar um equilíbrio entre o ensino de qualidade e a proliferação de faculdades nos últimos anos, muitas sem nenhum compromisso com o ensino jurídico”, explicou Lamachia.

“O compromisso da OAB com esta causa é histórico, sempre vigilante quanto à qualidade do ensino jurídico, pois esta é uma preocupação de toda a cidadania. O momento do Brasil não é simples, nos impondo desafios a todo momento. Mas me tranquiliza ver que temos um sistema harmônico e unido, que nos dá a força necessária para que a Ordem cumpra seu papel e sua missão”, agradeceu.

O secretário-geral da OAB e coordenador do Exame de Ordem, Felipe Sarmento, registrou a importância das comissões estaduais, com “dedicação, empenho e comprometimento que demonstram”. “O Exame de Ordem conserta um problema que não é gerado por nós: o estelionato educacional, um mal que traz à Ordem o problema do mau ensino. Pagamos o preço de sermos criteriosos com alunos, que têm expectativas criadas por universidade e pelo governo e são vilipendiados pela qualidade do ensino”, disse.

“As diretrizes curriculares não atendem a necessidade de um ensino aprofundado do direito. É necessário ter suficiência mínima para exercer a profissão de advogado, pois temos responsabilidades com o país e o cidadão. Não buscamos menor aprovação no Exame de Ordem, mas exigir mais e ser mais criteriosos com aqueles que chancelamos para exercer a profissão”, completou.

A pauta do II Fórum Nacional de Exame de Ordem debateu a composição da banca da prova, a participação das seccionais no Exame, como por exemplo na elaboração do edital, análise dos locais de provas, indicação de fiscais e os prazos. Também foram debatidos detalhes da emissão de certificados e da compilação de dados estatísticos das provas, assim como a publicação de resultados e comunicados.

A mesa de abertura do fórum reuniu também o presidente da Comissão Nacional de Educação Jurídica, Marisvaldo Cortês Amado; o presidente da Comissão Nacional de Exame de Ordem, Rogério Varela; e os presidentes de Seccionais Marco Aurélio Choy (AM), Marcelo Motta (CE), Paulo Maia (PB), José Augusto de Noronha (PR) e Walter Ohofugi (TO).

Fonte: http://www.oab.org.br/noticia/55552/oab-sedia-segunda-edicao-do-forum-nacional-de-exame-de-ordem